Com temas reflexivos que versam sobre a realidade do povo e suas necessidades, a Campanha da Fraternidade, organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), tem por objetivo trazer à tona as necessidades do povo brasileiro, lançando ideias e projetos para melhor trabalhar a missão evangelizadora da Igreja e dos cristãos chamados a ser discípulos/missionários na vinha do Senhor.

A proposta da Campanha da Fraternidade tem por objetivo provocar em cada cristão uma meditação a mais, acerca das realidades e necessidades do povo brasileiro. “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26) é o Lema da Campanha da Fraternidade desse ano, cujo tema versa sobre a Fraternidade e Educação. O Catecismo da Igreja Católica nos ensina que educar é formar uma consciência reta e verídica, seguindo a razão de acordo com o bem verdadeiro querido pela Sabedoria do Criador. Educar a consciência é um dever que se prolonga por toda vida, desde a mais tenra infância até o final da existência humana. Temos em nós, pela graça do Batismo, dom da Sabedoria que deve ser exercido e amadurecido em nós para que saibamos discernir entre a vontade de Deus e os desejos do mundo. 

Na formação da consciência a Palavra de Deus é a Luz do caminhar humano, quando assimilada na fé e na oração, para ser colocada em prática. Sabedoria e prudência devem caminhar lado a lado, para que todo agir seja caridoso e humano e conduza todos à santidade. Criar uma consciência de acordo com os valores do Criador e seus preceitos é essencial para o ser humano que vive cercado de influências negativas, que levam ao pecado da autossuficiência e ao distanciamento do que é realmente de Deus e cristão. Recusar os ensinamentos Divinos, deixando-se conduzir pelas palavras do mundo, gera o caos interior, pois, sem a capacidade de discernir o certo e o errado aos olhos do Pai, o homem anda sem rumo e se distancia cada vez mais da graça Divina. 

A bondade de Deus é infinita, pois conhecendo nossas fraquezas, nos concede dons e carismas que nos orientam a como viver de forma cristã e, aprendendo dessa maneira, somos impelidos também a educar e ensinar essa forma de viver aos que vivem ao nosso redor. É a Sabedoria do Altíssimo que nos educa e nos leva a ensinar as verdades cristãs. Em tempos de pós-pandemia, quando o isolamento social fez com que a maioria das pessoas se jogassem de cabeça nas redes sociais, para suprir, ao menos um pouco, a necessidade de se fazer parte de uma comunidade, é providencial e atual esse lema. 

Num mundo onde a informação é tão abundante, as palavras tão jogadas ao vento, as notícias dadas em primeira mão e esquecidas rapidamente há, ao mesmo tempo uma carência abundante de verdades, valores, amor e sabedoria, o que torna urgente uma retomada educativa que seja voltada para uma vida digna. Isso exige olhar o outro e perceber nele a face de Cristo, vê-lo como irmão necessitado de uma palavra caridosa, de atenção e compaixão, ou seja, de ensinamentos cristãos, como Jesus fazia.  Cristo foi o Mestre dos mestres. “Jesus entrou na Sinagoga e pôs-se a ensinar. Maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas” (Mar 1, 21-22). Sua didática educava com amor, correção fraterna e sabedoria.

Há muitos modos de educar, métodos modernos e oferecidos a quem tem possibilidade de acesso a eles. Porém, a melhor forma de educar com sabedoria é pela palavra amiga e sincera, que expresse a verdade que vem da Palavra de Deus e seus ricos valores e ensinamentos. Educar com amor é ter como base as Palavras do Mestre Jesus que ensinou que todo o conhecimento humano não tem valor caso não conduza para a santidade, o respeito ao próximo e para dar dignidade aos filhos amados por Deus.  Que imitemos a humildade de São José e a sabedoria da Virgem Maria, para sermos transmissores da educação pela Palavra de Deus.

Dom Carlos José
Bispo de Apucarana (PR)